Sua empresa ainda opera com hardwares e sistemas antigos? Pois então é bom você ficar de olho. Quando as máquinas e os sistemas operacionais da empresa estão desatualizados, abre-se uma enorme brecha de segurança para a ação de vírus, códigos maliciosos e até mesmo ataques cibernéticos.

Todas essas coisas podem causar prejuízos enormes para a companhia — e, em muitos casos, até arruiná-la. Por isso, é muito importante prestar atenção no status dos seus equipamentos e fazer o possível para que eles estejam sempre atualizados.

Neste artigo, você vai descobrir por que é importante manter o hardware e os sistemas operacionais dos computadores da sua empresa sempre atualizados. Vai conhecer também as melhores maneiras de fazer isso, com direito a dicas para otimizar os trabalhos da sua equipe de TI.

E aí, se interessou? Então continue com a gente e siga a leitura!

Por qual motivo são lançadas tantas atualizações de hardware e software?

A tecnologia está sempre em constante aprimoramento. Por isso, é natural que um hardware, software ou sistema operacional necessite de algumas modificações após o seu lançamento. É justamente para garantir a estabilidade e o desempenho de seus produtos que os fabricantes lançam atualizações frequentes.

Muitos usuários mais leigos, entretanto, postergam ao máximo as atualizações por considerá-las desnecessárias ou inoportunas. Esse tipo de comportamento deve ser evitado ao máximo, principalmente dentro das empresas — afinal, o bom desempenho dos trabalhos e a segurança das informações são vitais para o sucesso de um negócio.

Por que você deve atualizar as máquinas e sistemas operacionais da empresa?

Como já deve ter dado para perceber, não faltam razões para manter as máquinas e sistemas da sua empresa sempre atualizados. A seguir, listamos em detalhes para você os 4 principais motivos.

1. Mais segurança

Sem dúvida, o principal motivo para estar sempre com a atualização mais recente. Ao fazer uso de softwares desatualizados, você abre espaço para a ação de possíveis invasores, já que apenas as versões atualizadas dos softwares e sistemas possuem correções e melhorias de segurança.

Uma das coisas mais comuns no mundo da tecnologia é uma empresa lançar um programa ou sistema operacional e, pouco tempo após o lançamento, serem descobertas falhas críticas de segurança e brechas para ciberataques.

As atualizações são feitas justamente para reparar esses problemas. Quando a sua empresa não realiza esse procedimento, você mantém os defeitos já conhecidos e explorados por gente mal-intencionada, deixando todo o seu ambiente de TI vulnerável.

Uma das consequências mais terríveis que você pode enfrentar devido às falhas de segurança é a perda de informações: é muito comum que os cibercriminosos corrompam ou deletem arquivos em seus ataques. Já pensou na possibilidade de se ver às voltas com a perda de dados dos seus clientes e fornecedores? Pois é.

Mas é o prejuízo financeiro que, no final das contas, pode fazer a diferença. Um bom exemplo são os ransomwares, softwares maliciosos que, uma vez instalados, criptografam todos os dados armazenados no computador e exigem o pagamento de um resgate para não destruir essas informações.

De acordo com um levantamento da revista especializada CIO, mais de um quarto desses ataques são direcionados a empresas. Somente em 2017, estima-se que os ransomwares deverão movimentar aproximadamente US$ 5 bilhões em transações de resgate, o equivalente a cerca de R$ 15 bilhões. Percebeu agora a gravidade do assunto?

2. Correção de erros

As atualizações são fundamentais para corrigir problemas recorrentes de tecnologia, como bugs que provocam erros e travamentos no software. Às vezes, essas falhas podem ser tão graves que simplesmente inviabilizam o uso do programa, o que pode prejudicar o bom andamento dos trabalhos na empresa.

Outra circunstância em que a atualização também é extremamente necessária é quando um software antigo precisa rodar num hardware moderno, ou vice-versa: nesse caso, os chamados patches garantem a compatibilidade entre os componentes.

Todavia, essa facilidade costuma se restringir a uma ou duas gerações de equipamentos — as mais novas versões dos processadores da Intel, Qualcomm e AMD, por exemplo, vão funcionar somente com o Windows 10, deixando de lado o suporte às antigas versões do sistema operacional da Microsoft.

3. Acesso a novos recursos

É normal que as atualizações de sistema tragam consigo a implementação de várias funções novas. Pegando como exemplo o sistema operacional dos smartphones, as versões mais recentes do Android e do iOS têm recursos muito mais avançados do que as suas variantes de poucos anos atrás — e o mesmo vale para sistemas como o Windows ou o Mac OS.

Isso também ocorre nos softwares: é muito comum que as desenvolvedoras acrescentem novos recursos após ouvirem o feedback dos usuários. Com a nova mentalidade do SaaS (Software as a Service), um modelo que vem sendo usado com muito sucesso pelas empresas, essas revisões se tornaram ainda mais frequentes, fazendo com que as atualizações sejam simplesmente indispensáveis.

4. Maior produtividade

Muitas vezes, por mais que você mantenha um programa atualizado, a obsolescência do equipamento não permite usufruir de todo o potencial do software. Quando isso começa a atrapalhar a produtividade da sua equipe, não tem jeito: é preciso investir também na atualização do hardware.

Ter máquinas atualizadas garante maior velocidade e compatibilidade total com os recursos mais recentes dos programas, o que contribui fortemente para aumentar a produtividade dos colaboradores.

É possível otimizar os custos desse investimento ao optar por alternativas como a locação de equipamentos e a terceirização de TI. Enquanto a primeira opção permite ter as máquinas e programas mais recentes por um valor mensal fixo, a segunda é uma excelente pedida para liberar a sua equipe de TI das demandas relacionadas à área de segurança e atualização dos sistemas, deixando-a livre para focar apenas nos assuntos estratégicos para os negócios da companhia.

Viu só como a atualização de hardware e sistemas operacionais da empresa é fundamental? Se você gostou deste artigo e deseja receber mais informações sobre TI, assine a nossa newsletter e fique por dentro de todas as novidades. Até o próximo post!