Contexto: As escolas do Reino Unido estão enfrentando uma escassez de professores e muitos planejam sair em breve de suas funções. Saiba mais sobre como manter os professores em sala de aula, melhorando o equilíbrio entre vida profissional e pessoal.

Muitos professores em potencial podem precisar repensar sua escolha de carreira se não souberem equilibrar a vida profissional e vida pessoal.

O Departamento de Educação do Reino Unido registra que haverá um aumento acentuado no número de crianças matriculadas em escolas estaduais na próxima década. Além disso, estima-se a necessidade de mais de 30.000 professores para manter uma proporção saudável de alunos por professor, de acordo com estudos internos. Essa situação pode ser catastrófica para manter os padrões de educação do Reino Unido e para os professores que trabalham lá.

Se olharmos para a situação do Brasil, em termos de proporção alunos/professor, historicamente há uma lacuna significativa, inclusive em relação a sobrecarga dos professores e coordenadores e por consequência da direção, que deve gerenciar a falta de professores e a abstenção.

Sobrecarga de responsabilidades do professor

Se você considerar as responsabilidades atuais que um professor comum deve enfrentar, é fácil perceber por que a carga de trabalho e o equilíbrio entre vida profissional e pessoal são citados como os principais motivos para os professores desejarem deixar a profissão. Os professores das escolas do Reino Unido, e no Brasil não é diferente, atualmente preparam planos de aula para o ano letivo, para a semana de trabalho, além da preparação de cada lição, seguindo normas e confeccionando relatórios. No entanto, para a maioria dos professores experientes, toda essa papelada é uma perda de tempo valioso. Os professores geralmente concordam com a necessidade de um esquema de trabalho, mas um plano de aula diário ou semanal é supérfluo quando um esquema detalhado de trabalho é planejado para o ano letivo, ou pelo menos para o trimestre. Além disso, alguns professores têm que documentar o progresso dos planos após as aulas, além da progressão dos alunos e anotar todas as interações ocorridas com os alunos. Isso tudo antes mesmo de eles começarem a definir e marcar os trabalhos e a lição de casa.

Os efeitos de muitas turmas e muitos alunos para os professores

Com um tamanho médio de turma de 30 alunos e 5 turmas diferentes por semana, os professores precisam fornecer planos de aula, relatórios de progresso, definir e marcar trabalhos de casa para 150 alunos por semana. Uma pesquisa do jornal The Guardian com professores constatou que mais de três quartos dos professores trabalham até 65 horas por semana, a maioria apenas em atividades preparatórias. Na Inglaterra, 43% dos professores planejam deixar a profissão nos próximos cinco anos.

Já está claro como a burocracia nas escolas sobrecarregou e ofuscou o ensino como profissão, sem levar em conta fatores como cortes no orçamento para educação, alterações no currículo e monitoramento dos órgãos regulatórios que pressionam os professores e amplificam ainda mais o ambiente às vezes negativo e hostil pelo qual os professores precisam passar.

6 Maneiras para que educadores tenham mais sucesso em suas profissões

  1. Permitir diferentes estilos do processo de ensinar e aprender;
  2. Forneça prazos realistas para feedback e correções;
  3. Ofereça e respeite o tempo de “escritório” dos professores;
  4. Adicione algumas aulas complementares;
  5. Rever como o dever de casa é gerenciado;
  6. Pense em adicionar avaliadores externos.

Como incentivar mais pessoas a considerarem as profissões relacionadas a educação e como progredir nessas profissões? Com pequenos ajustes na perspectiva atual sobre os elementos fundamentalmente necessários para a educação, as cargas de trabalho dos professores podem ser melhor gerenciáveis, para que eles possam se concentrar no ensino, permitindo que os ocupantes de outras funções dentro do ecossistema pedagógico possam contribuir com outras tarefas, fazendo com que todos sintam que são capazes de fazer a diferença juntos.

Alunos e professores podem ter diferentes estilos que afetam a maneira como processam e recebem informações. Alguns professores podem achar necessário registrar uma grande quantidade de informações, enquanto outros podem não precisar de detalhes tão rigorosos. Da mesma forma, alguns alunos esperam feedback regular, enquanto outros não se beneficiam com isso e ficam felizes em receber feedback com menos frequência. Além disso, o monitoramento constante dos alunos demonstrou pouco efeito na melhoria das notas e, ao mesmo tempo, diminuiu o tempo efetivo de ensino.

Além disso, é muito importante gerenciar as expectativas dos alunos e superiores em referência a prazos realistas para feedback e correções, o que afeta o gerenciamento da carga de trabalho. Isso daria essencialmente aos professores mais controle e flexibilidade na maneira de gerenciar sua própria carga de trabalho e teria o benefício adicional de proporcionar aos professores uma sensação de valor e respeito.

Locação de notebooks, computadores e smartphones - 6 maneiras de melhorar o equilíbrio entre a vida profissional e a vida pessoal dos professoresSe os professores usarem bem o seu “tempo de escritório”, os alunos que desejarem discutir seus trabalhos com mais regularidade poderão fazê-lo. Os alunos que não desejam ou se beneficiam dos relatórios e feedback constantes teriam a opção de assistir às aulas complementares, permitindo que o professor se concentre mais nos pontos com os quais os alunos estão lutando e lhes dê tempo dedicado para repassar partes específicas de uma maneira prática. Isso permitiria aos professores os meios para aumentar a compreensão dos alunos dentro do horário escolar.

Um benefício adicional de alterar a forma de dar feedback e correção é a possibilidade de oferecer relatórios de progresso mais completos aos alunos, permitindo que o aluno e a escola vejam tendências ao longo do tempo e onde é necessário melhorar. Isso pode ser mais benéfico, pois é um formato mais digerível do que uma infinidade de relatórios impressos, que podem essencialmente consumir “madeira de muitas árvores”.

A fraqueza de uma estratégia como essa é que dependeria da capacidade do professor. Se o professor não cumprir os padrões ou gerenciar mal seu tempo, pode levar mais tempo para identificar lacunas em comparação com relatórios constantes. No entanto, a probabilidade é que haveria uma diferença marginal, entre o preço baixo a pagar por uma mudança de estratégia como essa em relação a alternativa da escassez crítica de professores e a queda do padrão educacional.

Observar como o trabalho de casa é gerenciado é outra maneira de reduzir a carga de trabalho dos professores e melhorar o equilíbrio entre vida profissional e pessoal. Uma maneira de fazer isso seria utilizar a tecnologia e fornecer soluções para lição de casa com autocorreção, permitindo que essa tarefa demorada fosse removida das responsabilidades do professor. Isso seria mais adequado para assuntos como matemática e ciências que têm uma alta taxa de informações empíricas e objetivas (perguntas com uma ou mais respostas específicas). No entanto, com assuntos como o inglês ou português, por exemplo, onde a avaliação das respostas corretas pode ser subjetiva, as escolas podem considerar o uso de avaliadores externos, que, novamente, liberariam os professores para se concentrarem na educação.

Pequenas mudanças, mas grande impacto – transformando o equilíbrio entre vida profissional e pessoal dos professores

Ao fazer essas pequenas mudanças, mas significativas, é possível melhorar drasticamente a carga de trabalho e o equilíbrio entre a vida profissional e a vida pessoal dos professores, com pouco ou nenhum impacto nos recursos ou no financiamento disponível. Seja como for, é de vital importância começar a abordar estas questões, pois, sem alterações, a situação da falta de professores pode tornar-se um problema incontrolável no futuro próximo, o que seria desastroso para os jovens de hoje e as gerações futuras.

Se você está na estratégia ou na gestão educacional, tente iniciar uma discussão em sua escola hoje. Todo professor que você pode manter atuando como educador conta. Todo novo professor que você pode recrutar é uma sorte. Uma ótima educação para os alunos começa com professores bem descansados e preparados nas salas de aula.

 

Tecnologia como aliada

Recursos tecnológicos que automatizam tarefas repetitivas e trazem dados estratégicos sobre a classe são certamente o maior aliado que professores e gestores podem ter.

Além disso a tecnologia abre novas possibilidades para as carreiras docentes, dando mobilidade para essa classe de profissionais.

Conheça as tecnologias disponíveis, crie uma Visão de como esses recursos podem te ajudar e parta para um plano de implantação bem estruturado.

Estude estruturas de transformação digital para educação e obtenha apoio profissional necessário para começar sua jornada de mudanças.

Conheça a Estrutura de Transformação proposta pela Agasus

______________________________________________________________

Este artigo é uma contribuição de Leon Hady, ex-diretor de uma escola ‘Excepecional’ no Reino Unido e criador do Tutionkit.com, uma plataforma de aprendizado.

O artigo foi traduzido, adaptado e complementado pelo time de especialistas da Agasus.

Você pode acessar o original em inglês no blog: https://www.viewsonic.com/library/education/6-ways-to-improve-teachers-work-life-balance