São muitas as etapas cruciais que determinam o sucesso do desenvolvimento de uma proposta de trabalho em TI. Por isso, equipes se beneficiam com o uso de ferramentas de gestão de projetos, que tornam a administração desse processo mais produtiva e dinâmica. 

Considerando a tecnologia como um mercado em constante evolução, o objetivo desses recursos digitais é justamente combinar controle e funcionalidade, mapeando prazos, pessoas e atividades para gerar respostas mais rápidas e eficazes. Além disso, essas ferramentas favorecem a mobilidade e a automação de demandas, que são iniciativas essenciais na rotina de um ambiente corporativo moderno. 

Se você está buscando impulsionar o fluxo das tarefas na sua área de TI e ter mais produtividade, acompanhe este post e confira nossas sugestões de 7 ferramentas que vão otimizar o dia a dia da sua empresa! 

1. Asana

Lançado em 2011, o Asana é uma ferramenta de gestão de projetos online orientada para coordenar trabalhos em equipe. Além da página, possui também aplicativos para Android e iOS, que apoiam estratégias de mobilidade

O diferencial da plataforma é a maneira como ela facilita a manipulação de uma determinada atividade. No dashboard, o gestor pode fazer alterações conforme suas necessidades e realizar ações como:

  • adicionar comentários;
  • anexar arquivos;
  • criar checklists;
  • determinar prazos e profissionais responsáveis por etapa;
  • acompanhar um calendário completo com tudo que foi entregue e o que está pendente.

Como falamos, o intuito do Asana é simplificar a comunicação e a produção em equipe e evitar threads infinitos de e-mail, nos quais as informações se perdem e ficam confusas. 

O aplicativo é gratuito em sua versão básica para equipes com até 15 membros. A partir desse número, a empresa pode pagar pelo menos U$ 9,99 por pessoa mensalmente pela conta premium. Com ela, a organização tem acesso a recursos mais rebuscados (como suporte técnico) e material educativo, como webinars

O Asana também oferece uma conta chamada Enterprise — cujo valor é consultado diretamente com a marca — que permite o gerenciamento de dados e controles mais avançados.

2. Trello

A proposta do aplicativo Trello, também criado em 2011 pela Fog Creek Software, é propiciar o uso digital do sistema japonês de produtividade Kanban.

A estratégia Kanban utiliza post-its ou cartões com atividades que são movidos em um quadro por três diferentes colunas: para fazer, em andamento e finalizado.

Dessa maneira, seu intuito é organizar os fluxos das tarefas e permitir que todos acompanhem o andamento do trabalho de forma clara e visual. Assim, essencialmente, o Trello tornou essa ideia uma realidade.

Os cards digitais podem ganhar cores diferentes de acordo com o senso de urgência de cada atividade ou se associados a um setor responsável. O perfil do gerente do projeto tem direito a pequenas vantagens e customizações.

O acesso é gratuito, porém a empresa disponibiliza duas opções de contas pagas:

  • Business Class: custa até U$ 9,99 por usuário por mês, viabiliza integrações com outros apps, acesso ao suporte, personalizações, segurança, entre outros; 
  • Enterprise: voltado para grandes empresas que gerenciam vários times ao mesmo tempo. Pode chegar a U$ 20,83 mensal por pessoa. 

3. Azendoo

Azendoo é uma ferramenta de gestão de projetos e tarefas bem completa e cheia de funcionalidades diferentes e integrações com outros aplicativos, como Dropbox, MailChimp e Buffer — são pelo menos 80 apps conectados.

Entre suas várias propriedades, o Azendoo proporciona diversos extras para tornar a comunicação mais eficiente e divertida, já que os integrantes podem:

  • criar enquetes;
  • mandar mensagens privadas ou públicas;
  • enviar links personalizados;
  • usar GIFs ou emojis nos comentários ou publicações. 

Além disso, a ferramenta apresenta muitos benefícios, como:

  • análise de dados;
  • notificações push;
  • importação e exportação dados para outros aplicativos.

Vale ressaltar que o Azendoo não é gratuito. Seu plano mais básico começa com um investimento de, pelo menos, U$ 7,50 por usuário e pode chegar até U$ 29 no plano empresarial, que apresenta mais controles, espaços para armazenamento e vantagens. 

4. Evernote

Em seu slogan, o Evernote se apresenta como o “seu segundo cérebro”. Logo, percebemos que o conceito desse aplicativo é gerenciar todos os pensamentos e ideias que passam pela mente. Ele funciona como um poderoso organizador de notas e projetos.

Com um pouco mais R$ 80 por ano, o usuário tem acesso à conta Premium — a opção básica é gratuita —, com inúmeras funções que colaboram para a mobilidade e a rotina de gestores, como:

  • sincronização de dados entre os dispositivos;
  • arquivamento de imagens, PDFs, páginas da web — além de escrita e buscas nesses arquivos. 

O Evernote Business é a plataforma da empresa para gestão de projetos em equipe e, por pelo menos R$ 24 por usuário, apresenta todas as outras principais funcionalidades dos aplicativos semelhantes. 

5. Microsoft Project

Desenvolvido pela Microsoft em 2010, o Microsoft Project é uma ferramenta de gestão de projetos bem robusta e amplamente adotada. Seus planos variam desde um pacote essencial até o mais completo, com preços mensais entre R$ 27,10 a R$ 212,90 por usuário para uma solução baseada na nuvem. 

Seus recursos são bastante variados e um tanto mais complexos do que os dos demais aplicativos. Com ele, gestores têm um controle consistente do projeto e conseguem:

  • personalizar relatórios;
  • calcular burn rates;
  • administrar informações sobre demandas, exigências, duração e instrumentos necessários para o projeto;
  • visualizar o planejamento de modo integral e prático;
  • agendar tarefas;
  • compartilhar dados e mensagens de várias formas. 

6. Runrun.it 

Runrun.it é um software que, apesar do nome em inglês, foi concebido por uma startup brasileira em 2007. Para otimizar o gerenciamento de projetos, o programa disponibiliza para equipes e executivos algumas inovações como:

  • time tracker;
  • indicadores de performance;
  • gestão de custos por projeto e por cliente;
  • burnup chart;
  • exportação de dados;
  • acompanhamento da performance de cada profissional envolvido;
  • suporte técnico em português. 

Para usar o Runrunit, a empresa tem que desembolsar R$ 59 por mês por usuário no plano Corporate ou entrar em contato com a marca e saber mais sobre a modalidade Enterprise, que presta soluções mais específicas para grandes negócios.

7. Harvest

Fundado em 2006 em Nova York, o Harvest tem a função de ser um recurso simples, rápido e útil, focado no rastreamento de tempo, dos gastos e do trabalho em equipe para ajudar gestores a tomar decisões e fazer escolhas mais inteligentes. 

Com uma interface amigável, ele facilita a emissão de relatórios nos quais é possível entender, com clareza, aspectos como:

  • níveis de produtividade de cada integrante;
  • faturamento de um projeto — caso algum gasto ultrapasse os limites estabelecidos, o gestor é comunicado instantaneamente. 

O preço é fixo de U$ 12 (por mês) por usuário se o grupo tem mais de duas pessoas — sem limites de projetos. 

Com essas 7 ferramentas de gestão de projetos, sua equipe de TI estará, sem dúvidas, mais alinhada e produtiva do que nunca para concretizar projetos importantes e entregar resultados de alto nível!

Gostou de conhecer essas ferramentas de gestão de projetos para sua área de TI? Então, não deixe de nos seguir nas nossas redes sociais para conferir outros conteúdos! Estamos no LinkedInTwitter e Facebook. ​