Quer elevar o nível de competitividade de sua empresa? Manter o foco no seu business, desempenhar uma função mais estratégica e, assim, ampliar resultados e superar suas metas? Então, este conteúdo foi feito para você, pois vamos mostrar aqui as principais razões para sair do Capex e aderir ao Opex.

Reunimos em um só material tudo o que é necessário saber acerca desses métodos. Portanto, caso esteja enfrentando problemas com o atendimento, custos de aquisição para os novos equipamentos e também esteja com dificuldades em lidar com uma alta carga operacional, não deixe de prosseguir com a leitura!

O que é Capex?

Capex é a sigla utilizada para o termo em inglês Capital Expenditure, que em português é traduzido como “Despesas de Capitais”.

Também conhecida como “Investimentos em Bens de Capitais”, o Capex nada mais é do que uma abordagem de negócios que representa os custos relacionados às aquisições.

Nesse sentido, engloba-se desde à compra de uma simples impressora até a obtenção de um novo terreno, sempre visando a melhoria dos produtos, dos serviços e da própria organização em si.

Sob uma ótica mais técnica, o Capex é utilizado como medida para se calcular o retorno sobre o investimento em um determinado projeto — por razões de posicionamento, ao falarmos de investimentos estamos nos referindo tanto às aquisições externas quanto aos desenvolvimento internos, isto é, criados pela própria empresa.

O que é Opex?

Já o Opex, sigla para Operational Expenditure (ou “Despesas Operacionais”), é uma modalidade que está relacionada aos custos que correspondem ao funcionamento dos equipamentos, incluindo os gastos de consumo e de operação.

Em outras palavras, o Opex se refere aos dispêndios do cotidiano, como:

  • despesas com funcionários;
  • manutenção do maquinário;
  • combustível;
  • tributos;
  • serviços terceirizados;
  • entre outros.

Em linhas gerais, o termo se refere aos gastos que se fazem necessários para a continuidade produtiva de uma empresa e para a conservação dos serviços que determinam o seu sistema de produção.

Para elucidar um pouco mais essa questão, analisemos a seguinte hipótese: sua empresa adquiriu um equipamento que, após um certo período, exigiu algumas manutenções. O capital utilizado para adquiri-lo está relacionado ao Capex, enquanto os gastos para mantê-lo operante dizem respeito ao Opex.

Além disso, a modalidade Opex também inclui os sistemas de assinaturas e serviços corporativos de fornecedores digitais.

Essas soluções são conhecidas pelo termo “SaaS” (Software as a Service), um modelo de negócios que consiste no licenciamento dos recursos e funcionalidades de uma plataforma tecnológica, por meio da internet (Cloud Computing).

Quais as diferenças entre essas duas soluções?

Após a apresentação dos conceitos, é possível compreender melhor as diferenças entre Capex e Opex, especialmente em relação às suas aplicações no ambiente organizacional.

Considerando o exemplo anterior, o investimento para a compra do equipamento (Capex) é fixo e causa um impacto financeiro imediato. Entretanto, as despesas operacionais e de manutenção (Opex) desencadeiam um impacto financeiro, via de regra, variável — tais custos devem ser gerenciados continuamente, já que trazem componentes que oscilam conforme a utilização.

É interessante salientar também a questão dos impostos e das taxas sobre os lucros — contexto em que o Opex é certamente a melhor escolha.

E o porquê disso? A resposta é simples: essa preferência se justifica pelo simples fato de que a compra de equipamentos é incluída nas despesas de capitais, enquanto o empréstimo se caracteriza como um gasto operacional.

Em termos contábeis, haverá uma dedução de tributos sobre a renda da companhia, visto a sua incidência sobre o lucro líquido (razão pela qual muitas empresas estão aderindo unicamente a este modelo).

Para facilitar a sua compreensão, observe que as aquisições não estão incluídas nos gastos necessários para o funcionamento diário do negócio, ao contrário das despesas operacionais e isso as torna dedutíveis do lucro, reduzindo, desse modo, o valor dos impostos a pagar.

Quais são as vantagens do Opex sobre o Capex?

Além do aspecto tributário que acabamos de mencionar, o Opex ainda tem outras vantagens quando comparado ao Capex, que incluem:

  • redução de custos (não envolve compras de equipamentos);
  • despesa mensal previsível;
  • melhora do desempenho operacional.

Enfim, esses benefícios serão aproveitados devido aos caminhos naturais até o Opex: o outsourcing — falaremos sobre isso logo a seguir.

Afinal, por que sair do Capex e ir para o Opex?

Analisando todo o cenário abordado neste conteúdo, fica fácil concluir que a saída do Capex para o Opex está nas suas vantagens, que se resumem ao melhor controle das finanças e ao ganho de eficiência das operações.

Contudo, o que fortalece essa transição ainda mais é a evolução do outsourcing de TI. Muito além do que a simples possibilidade de se contratar serviços em nuvem, estamos diante da opção de alugar máquinas e softwares modernos, isto é, que estão em conformidade com as tecnologias mais utilizadas no momento.

Para entender melhor esse benefício, basta observar o que ocorre com a compra de um carro novo, que ao sair da concessionária já desvaloriza cerca de 15% do valor pelo qual foi adquirido. Trata-se de uma analogia simples, mas o mesmo acontece com os equipamentos que fazem parte da infraestrutura de TI.

Esses equipamentos já estão sujeitos à depreciação assim que saem da loja, sem se esquecer, é claro, que podem se tornar obsoletos rapidamente já que as inovações estão cada vez mais rápidas e frequentes. No Opex isso não será um problema, visto que os produtos e serviços costumam ser renovados de acordo com o próprio desenvolvimento do setor.

Todavia, vale ressaltar que isso deverá se verificado durante a negociação com o fornecedor. Lembrando que no caso de necessidades emergenciais sem disposição financeira para uma locação de longo prazo, há a possibilidade de alugar tais equipamentos por um prazo menor.

Outro benefício interessante é a variedade de equipamentos disponíveis para locação, como computadores, notebooks, projetores, tablets, smartphones e até mesmo servidores, pelo tempo mínimo de um dia e máximo de doze meses.

O maior benefício a ser considerado é que sua empresa não precisará se descapitalizar e ainda terá a oportunidade de realocar esses recursos em áreas mais estratégicas.

Entretanto, é necessário observar que não existe um método ideal para todos. Muitas vezes aquilo que atende o seu concorrente pode não funcionar para seu negócio. Portanto, avalie suas necessidades com cuidado e procure alcançar os melhores resultados com o menor risco possível.

Ao longo deste material, você teve acesso a uma série de informações sobre o Capex e Opex e pôde concluir que a segunda abordagem lhe trará maiores benefícios.

De qualquer maneira, toda decisão ou mudança de estratégia deve ser embasada em um bom planejamento, que, necessariamente, deve levar em consideração as características cruciais de seu negócio. Tenha sempre em mente que o foco é tornar seu negócio mais competitivo e eficiente.

Esperamos que este artigo possa lhe ajudar a definir qual o melhor caminho para sua empresa. Por isso, ao finalizar essa leitura, não deixe de conferir e entender um pouco mais sobre a locação de TI de curto prazo.