Nós já mostramos aqui no blog as principais diferenças entre o CAPEX e o OPEX. Agora, vamos mostrar para você, em detalhes, o que é CAPEX e as melhores maneiras de aplicar essa abordagem de negócios na gestão financeira da sua empresa.

Além de ver como o CAPEX pode impactar nos custos de aquisições, na escolha dos financiamentos e, principalmente, no equilíbrio financeiro da sua companhia, você vai saber como trabalhar esse método de maneira estratégica, conduzindo suas finanças de maneira profunda e consistente.

E aí, ficou interessado? Então, continue com a gente e siga a leitura!

O que é CAPEX?

O CAPEX (em inglês, capital expenditure, ou despesas de capital) é uma categoria de despesa empresarial. Ele abrange o montante de dinheiro utilizado para adquirir bens físicos duráveis, que podem ampliar a capacidade da empresa de gerar lucro.

Esses ativos que a companhia adquire podem ser desde uma nova posse — instalações e infraestruturas, como um terreno para a construção de um novo prédio — até algo que proporcione a melhora dos produtos e serviços da organização — por exemplo, equipamentos de informática, veículos de transporte etc.

Essa abordagem do CAPEX é bem diferente da do OPEX (operational expenditure, ou despesas operacionais). Em vez de enquadrar os custos de aquisição, o OPEX abrange todos os gastos para o funcionamento da operação, como manutenção de equipamentos, despesas com colaboradores, impostos, serviços terceirizados etc.

Como o CAPEX funciona?

O CAPEX diz respeito aos gastos de desenvolvimento ou ao fornecimento dos próprios bens de capital, itens fundamentais para manter um negócio ou sistema em funcionamento. Sendo assim, a aquisição de uma máquina é considerada uma atribuição do CAPEX, enquanto os custos com a manutenção desse equipamento vão para o OPEX.

Se o bem adquirido tiver vida útil maior que o ano fiscal, a capitalização dessas despesas será realizada por meio da amortização (no caso de bens intangíveis, como propriedades intelectuais) ou depreciação (no caso dos bens físicos).

Assim, a ideia é dividir o custo do item adquirido pela vida útil indicada nos regulamentos fiscais. Outro quesito importante é que, na hora de analisar os investimentos em projetos, esse índice será a base para o cálculo do retorno sobre o investimento (ROI).

Como utilizar o CAPEX de maneira estratégica?

Você já viu o que é CAPEX e como ele funciona. Agora, vamos explicar como utilizar essa opção estrategicamente.

Como já vimos, uma despesa de capital é registrada como um ativo, em vez de ser cobrada imediatamente como um gasto. Assim, o imobilizado é adicionado à despesa durante a vida útil do ativo, por meio da depreciação.

Um exemplo muito comum são os equipamentos de informática. Vamos supor que você adquiriu um ativo no valor de R$ 50 mil e espera que ele tenha uma vida útil de cinco anos. Nesses termos, você terá uma cobrança de R$ 10 mil na despesa de depreciação em cada um dos cinco anos seguintes à aquisição.

Assim, um negócio que deseja aumentar seus lucros e o seu valor contábil pode optar por comprar uma nova máquina, incorrendo numa despesa de capital. Com isso, a empresa deduziria somente uma pequena parte do ativo como despesa no exercício contábil.

Nesse exemplo, o balanço do negócio indicaria um maior valor de ativos e lucro líquido, o que poderia ser especialmente atrativo para companhias com ações na bolsa. Todavia, isso também significaria que a empresa economizou muito pouco em impostos.

Como as despesas de capital envolvem grandes investimentos, é preciso atentar-se a certos detalhes. Uma vez que existe um custo de manutenção para os registros associados às despesas de capital, você deve verificar se o valor desses itens é inferior ao limite de capitalização da empresa.

Dessa forma, se esse limite for de, por exemplo, R$ 5 mil, um computador que custa R$ 4.999 seria cobrado como despesa no período incorrido, enquanto que seria registrado como um ativo se custasse R$ 5.001. Nesse caso, partir para o OPEX e fazer a locação poderia valer muito mais a pena.

Por outro lado, se você não pode evitar o CAPEX e possui acesso ilimitado a investimentos de capital, essa pode ser a melhor opção para a sua empresa.

Como fazer o cálculo do CAPEX?

Calcular o CAPEX não é tão difícil. Em primeiro lugar, você precisa analisar as mudanças anuais dos ativos da empresa. Um exemplo: se o balanço patrimonial identificou que os ativos ficaram em R$ 1 milhão num ano e R$ 2 milhões no seguinte, a alteração foi de R$ 1 milhão.

Depois, é preciso contabilizar as mudanças nos passivos. Mais uma vez, o balanço patrimonial será a referência para o cálculo. Se, em um ano, os passivos forem de R$ 500 mil e atingirem R$ 1 milhão no ano seguinte, a mudança terá sido de R$ 500 mil.

Encontrados esses valores, bastará então subtrair as variações de cada ano para chegar às despesas de capital propriamente ditas. Se colocarmos isso em uma fórmula simples, o CAPEX seria o equivalente à variação dos ativos (VA) menos a variação dos passivos (VP):

CAPEX = VA – VP

Fazer esse cálculo é importante porque diz respeito a um custo de investimento que pode aumentar as chances de a empresa gerar lucro. Assim, há todo um controle e monitoramento dos gastos, possibilitando que as finanças corporativas sejam conservadas em dia.

Como o CAPEX impacta a gestão do seu negócio?

Do ponto de vista da análise financeira, uma empresa deve pelo menos manter seu nível histórico de despesas de capital. Caso contrário, poderá haver a suspeita de que a administração não está reinvestindo de forma adequada na organização — o que, eventualmente, poderá levar a uma queda do negócio.

De qualquer maneira, é preciso salientar que não existe uma fórmula mágica. Independentemente da situação da empresa ou do projeto, seu objetivo deverá ser sempre garantir resultados concretos e com o menor risco possível. Portanto, considere as vantagens e despesas que tenham maior impacto no investimento — assim, você chegará à solução mais adequada.

Agora que você já entendeu o que é CAPEX, que tal receber, em primeira mão, os melhores artigos sobre redução de custos e aumento de produtividade? Para isso, basta seguir a gente nas redes sociais: estamos no TwitterFacebook e LinkedIn. Até o próximo post!